Category: LEITURAS

Edward Luiz Ayres d’Abreu

[Longe do aparato de parangonas descartáveis, e apesar das dificuldades com que se debatem autores e editoras de circulação marginal, acha-se ainda, aqui e ali, uma iniciativa aventurosa, um esforço audaz, uma missão cumprida com rasgo de génio.]

(more…)

Conteúdos Relacionados
Ximenes Belo, A História da Igreja em Timor-Leste: 450 anos de evangelização (1562-2012)  1.º Vol.
Leonardo Coimbra, Obras completas, volume VIII, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 2014. Catarina
AA.VV., L’exil et le royaume: d’Albert Camus à Vergílio Ferreira, collection “Exotopies”, Paris, Éditions Le Manuscrit,
Jorge Cunha, Maria Celeste Natário e Renato Epifânio (coords.), Palavra, escuta e silêncio: Filosofia, Teologia

Telmo Castro

[O Arquitecto é um resistente que tem de lutar contra/com o poder instituído. A ideia de resistência, seja ela política, cultural ou arquitetónica, só pode existir se for identificado algum tipo de regime entrincheirado para ser combatido, para ser resistido. O objetivo de resistência raramente serve para derrubar o regime entrincheirado, mas antes para proporcionar um lugar. De igual modo, só pode existir onde existe uma ordem estabelecida, um espaço, por assim dizer, em que todos os que estão insatisfeitos possam operar mais livremente, mitigando a necessidade de se conciliarem. Como afirma Foucault, “onde há poder, há resistência ao poder”. Acrescentaríamos: “onde há resistência há poder”. Todo o arquiteto, ou agente cultural, o deveria saber. ]

(more…)

Conteúdos Relacionados
AA.VV., L’exil et le royaume: d’Albert Camus à Vergílio Ferreira, collection “Exotopies”, Paris, Éditions Le Manuscrit,
Jorge Cunha, Maria Celeste Natário e Renato Epifânio (coords.), Palavra, escuta e silêncio: Filosofia, Teologia
Manuel Cândido Pimentel [Constitui uma representação pueril querer admitir a existência do pensamento sem a

Ximenes Belo, A História da Igreja em Timor-Leste: 450 anos de evangelização (1562-2012)

 1.º Vol. 1562-1940, Porto, Fundação Eng.º António de Almeida, 2013

Maria Luísa Malato

[A Historiografia, política ou literária, colhe muitas vezes utilidade em ser feita por autores que não se assumem como historiadores. É o que  nos revela este livro de Ximenes Belo sobre a historiografia da igreja em Timor, de 1515 a 1940, uma reflexão delicada sobre as ambiguidades dos agentes históricos e dos seus narradores, uma viagem por um espaço linguístico, uma homenagem à cultura, feita também ela de pensamentos, palavras, atos e omissões.]

(more…)

Conteúdos Relacionados
Maria Luísa Malato entrevista Fernanda Irene Fonseca A Fernanda Irene Fonseca se devem alguns dos
AA.VV., L’exil et le royaume: d’Albert Camus à Vergílio Ferreira, collection “Exotopies”, Paris, Éditions Le Manuscrit,
Maria Luísa Malato entrevista Maria Teresa Horta Hesitamos em escrever uma introdução biobibliográfica a esta
Isabel Cristina Mateus [Com oitocentos e um anos de existência e contando com mais de
Elsa Cerqueira [Transcorridos quase cento e vinte anos, desde que o fogo prometaico chegou a

Leonardo Coimbra revista pontes de vista 01-01Leonardo Coimbra, Obras completas, volume VIII,
Lisboa, Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 2014.

Catarina Milhazes

[Este volume tem um outro particular interesse: além de nos dar o drama teorizado, dá-nos também o drama pessoalizado, através das cartas pessoais, que são um contributo para traçar o perfil de Leonardo Coimbra.]

(more…)

Conteúdos Relacionados
AA.VV., L’exil et le royaume: d’Albert Camus à Vergílio Ferreira, collection “Exotopies”, Paris, Éditions Le Manuscrit,
Constança Marcondes Cesar [A fim de podermos considerar a importância da difusão da língua e
Jorge Cunha, Maria Celeste Natário e Renato Epifânio (coords.), Palavra, escuta e silêncio: Filosofia, Teologia
Manuel Cândido Pimentel [Constitui uma representação pueril querer admitir a existência do pensamento sem a

l'exiel albert camus camilo castelo branco revista pontes de vista

AA.VV., L’exil et le royaume: d’Albert Camus à Vergílio Ferreira, collection “Exotopies”, Paris, Éditions Le Manuscrit, 2014.

Manuel Cândido Pimentel

[Pode o leitor encontrar neste livro um mundo de interpretação não monolítica da escrita literária e filosófica de ambos, antes plural de orientações e sugestões, uma proposta de viagens, visitações e revisitações da obra camusiana e vergiliana, um convívio intelectual que, indo da análise literária à filosófica, procura desvincular-se de lugares-comuns e traçar um perfil seguro dos dois autores.]

(more…)

Conteúdos Relacionados
José Gama A leitura de Alegria breve constitui um momento ímpar de reflexão e de
Constança Marcondes Cesar [Aparição representa a luta pelo equilíbrio, finalmente alcançado,  através da arte e
Samuel Dimas [O retorno do sagrado deve ter que ver fundamentalmente com a recuperação da
José Luis Gavilanes Laso [De un lado, pues, ceñir al hombre a sus límites; por
Hugo Monteiro [O sorriso, o primeiro do Ocidente, surge-nos assim como o assomo de um

palavra escuta e silêncio celeste natario revista pontes de vista _ 01

Jorge Cunha, Maria Celeste Natário e Renato Epifânio (coords.), Palavra, escuta e silêncio: Filosofia, Teologia e Literatura,

Porto,Universidade Católica Editora, 2014

Manuel Lázaro Pulido

[Na totalidade, vinte e uma reflexões de filósofos que falam de poesia, de teólogos que fazem reflexões sobre a poesia com grande dose filosófica, e de poetas que entram num labirinto de razões que às vezes apontam para o além (teologia).]

(more…)

Conteúdos Relacionados
Uma imagem de Sophia VARIAÇÕES 29 Outubro 2019 Escrito por NUNO JÚDICE Ó noite, flor
“De olhos bem abertos”: breve evocação de Sophia de Mello Breyner Andresen GRANDE ENTREVISTA 29
Sophia: O que há num nome EDITORIAL 29 Outubro 2019 Escrito por MARIA LUÍSA MALATO
Dignidade na palavra e na sabedoria LEITURAS 29 Outubro 2019 Escrito por GUILHERME D'OLIVEIRA MARTINS
Sophia e a dança LEITURAS 29 Outubro 2019 Escrito por MARIA JOSÉ MAGALHÃES DA SILVA