800 ANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA

800 ANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA Revista de Filosofia e Literatura NÚMERO 1 800 ANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA Blogue de design de interiores de Zita Rocha VER BLOGUE direção Director Honorário – Mário CláudioDirectoras – Celeste Natário e Luísa MalatoDirector Adjunto – Renato Epifânio Conselho de direção Catarina MilhazesAna Sofia Araújo conselho científico Hélio Alves (Universidade…

– Pontes de Vista Número 2

VERGÍLIO FERREIRA Revista de Filosofia e Literatura NÚMERO 2 VERGÍLIO FERREIRA Revista de Filosofia e Literatura NÚMERO 2 direção Director Honorário – Mário CláudioDirectoras – Celeste Natário e Luísa MalatoDirector Adjunto – Renato Epifânio Conselho de direção Catarina MilhazesAna Sofia Araújo conselho científico Hélio Alves (Universidade de Évora)Maria Manuel Baptista (Universidade de Aveiro)Pedro Baptista (Instituto…

800 ANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA – Pontes de Vista Número 1

800 ANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA Revista de Filosofia e Literatura NÚMERO 1 800 ANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA Revista de Filosofia e Literatura NÚMERO 1 direção Director Honorário – Mário CláudioDirectoras – Celeste Natário e Luísa MalatoDirector Adjunto – Renato Epifânio Conselho de direção Catarina MilhazesAna Sofia Araújo conselho científico Hélio Alves (Universidade de Évora)Maria Manuel…

O PRIMEIRO SORRISO DO OCIDENTE

Hugo Monteiro [O sorriso, o primeiro do Ocidente, surge-nos assim como o assomo de um Adeus que atravessa o tempo em saudação – gesto indistinto no excesso de um encontro que, em última análise, leva o próprio tempo atrás de si, revelando que “todos os séculos do passado se conglomeram ali, no instantâneo presente”] Conteúdos…

Palavra, escuta e silêncio: Filosofia, Teologia e Literatura

Jorge Cunha, Maria Celeste Natário e Renato Epifânio (coords.), Palavra, escuta e silêncio: Filosofia, Teologia e Literatura, Porto,Universidade Católica Editora, 2014 Manuel Lázaro Pulido [Na totalidade, vinte e uma reflexões de filósofos que falam de poesia, de teólogos que fazem reflexões sobre a poesia com grande dose filosófica, e de poetas que entram num labirinto…